Sanepar alerta que frio intenso e geadas podem romper hidrômetros e causar transtornos

Com o frio intenso registrado nesta segunda-feira, dia 24, e a previsão de geada para algumas regiões do estado, incluindo a região metropolitana de Curitiba (RMC), a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) reforça que os cuidados com o hidrômetro são ainda mais necessário. O medidor de água, chamado pela população de ‘relógio’, pode ser danificado e até mesmo romper.

As baixas temperaturas favorecem o congelamento da água dentro dos canos, fazendo com que estourem. Além de transtornos para a Sanepar, que precisa substituir os hidrômetros, o cliente é prejudicado e pode ter problemas com vazamentos e ficar sem água até que o equipamento seja trocado.

A proteção do hidrômetro pode ser feita com caixa de papelão, plástico, lona ou madeira. Podem ser usados outros tipos de materiais que impeçam o acúmulo de gelo sobre o hidrômetro e o encanamento, desde que não fiquem em contato direto com a estrutura. O material deve ser de fácil remoção para que o leiturista faça a medição.

FRIO

Oficialmente, ainda faltam 28 dias para o inverno. No entanto, 31 municípios paranaenses registraram as suas temperaturas mais geladas do ano nesta segunda-feira, dia 24, segundo dados do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar). Ao todo, o órgão monitora estações em 51 municípios e registrou recordes de frio em 60% delas.

O frio é consequência de uma massa de ar seco e polar que chegou ao estado ainda no domingo, dia 23 e, embora não tenha causado temperaturas negativas, se estendeu por diversas regiões.

“Essa massa tem origem na Antártida e é trazida ao Paraná por ventos que sopram da Argentina, se deslocando pela Cordilheira dos Andes até chegar ao sul do país”, explica Reinaldo Kneib, meteorologista do Simepar. “É uma massa intensa, com grande quantidade de ar frio e seco, que provocou quedas de temperatura bastante bruscas”.

A temperatura mais baixa do dia no Paraná foi registrada em Entre Rios do Oeste, na região oeste, que chegou a 1,7°C. Toledo foi a segunda colocada do dia, com 1,8°C.

O frio permanece no estado ainda na terça-feira, dia 25, e a previsão é que as temperaturas voltem a subir na quarta, dia 26, à medida em que a massa polar siga para o Oceano Atlântico. No entanto, com a aproximação do inverno, o frio deve ficar cada vez mais frequente. “Essa massa foi mais intensa do que as últimas, e a partir de agora será cada vez mais comum”, reforça meteorologista Kneib.