Tarifa de pedágio está mais cara em Campina e em outras 10 praças sob concessão da Arteris

Dez praças de pedágio sob concessão da Arteris Régis Bittencourt e Arteris Planalto Sul, incluindo a de Campina Grande Grande do Sul, sofreram ajustes nas tarifas. Quatro dessas praças estão localizadas no Vale do Ribeira, interior de São Paulo.

A decisão foi publicada no Diário Oficial de 18 de fevereiro e autoriza a revisão dos valores em 10,74%, com base na evolução do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O último aumento ocorreu em julho do ano passado.

Com o reajuste, a tarifa de carros em Campina Grande do Sul e em outras cinco praças, passou de R$ 3,40 para R$ 3,70, e a de motocicletas foi de R$ 1,70 para R$ 1,85. No Vale do Ribeira, as praças estão localizadas em Miracatu (Km 370), Juquiá (Km 426), Cajati (Km 485) e Barra do Turvo (Km 542). O último aumento havia ocorrido em julho do ano passado.

Valores Arteris Regis Bittencourt

O reajuste também é válido para outras cinco praças da BR-116, em em Fazenda Rio Grande (km 134) e Rio Negro (km 204), que são administradas pela Concessionária Arteris Planalto Sul. No trecho, que liga Curitiba à divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio subirá de R$ 6,20 para R$ 6,90.

Entre as praças que mantiveram a cobrança de pedágio no Paraná, a única que não terá reajuste é a de São José dos Pinhais, no km 635,1 da BR-376, que liga Curitiba ao Litoral de Santa Catarina. A tarifa continua sendo cobrada no valor de R$ 4,10, pela Arteris Litoral Sul.


Valores Arteris Planalto Sul

De acordo com a Arteris Régis Bittencourt, até 2021, foram investidos cerca de R$ 3,8 bilhões na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) entre São Paulo e Curitiba (PR). Desde o início da concessão, em 2008, já foram realizados mais de 2,5 milhões de atendimento aos usuários, com cerca de R$ 1,2 bilhão investidos em operações e conservação da rodovia. A concessionária afirma que, em dez anos, reduziu em 8% o número de acidentes, e mais de 53% de redução em fatalidades.

Já a Arteris Planalto Sul informou que até 2021 já investiu cerca de R$ 1,7 bilhões na BR-116 entre Curitiba/PR e Capão Alto/SC, com destaque para a duplicação de 25,4 km no trecho entre Curitiba e Mandirituba/PR, o investimento de R$ 110 milhões em obras de contenção da Serra do Espigão em Monte Castelo/SC, e os 35,2 km de terceiras faixas no trecho catarinense.

Ainda conforme a a concessionária, nos últimos 10 anos, houve redução em 24,64% o número de acidentes na BR-116 e mais de 40% as fatalidades no trecho concedido. Entre 2015 e 2021 a concessionária realizou também mais de 406 edições de campanhas educativas de segurança viária, com mais de 46 mil atendimentos feitos à motoristas, ciclistas, motociclistas e pedestres.