Postos de Campina e Quatro Barras registram filas de carros após anúncio de aumento nos combustíveis

Após anúncio do reajuste nos combustíveis feito pela Petrobrás, postos  registram filas de veículos nessa terça-feira (10). O cenário foi registrado em três dos quatro principais postos de Campina Grande do Sul e Quatro Barras.

Nas refinarias, o preço médio de venda da gasolina é de R$ 3,25 e chegará a R$ 3,86 por litro, um aumento de R$ 18,8%. Para o dieses, o preço médio passará de R$ 3,61 para r$ 4,51 por litro, alta de 24,9%. O preço médio da gasolina aplicado nos postos da região atualmente é de R$ 6,40, e com o aumento esse valor deve chegar a R$ 7,30, já a partir de amanhã. A grande procura pode levar ao desabastecimento antes da meia-noite de hoje, e a nova remessa de combustível já deve considerar o novo preço.

Motoristas estão se adiantando para abastecer antes que a alta chegue nas bombas. Um dos postos em que a procura por combustível aumentou foi o posto Túlio do Menino Deus, em Quatro Barras. A média de espera para abastecer era de 15 minutos, por volta das 15h30 de hoje.

No Posto Dinossauro do Jardim Paulista, em Campina Grande do Sul, outro registro de fluxo intenso. Localizado em um dos pontos mais movimentados do bairro, o cruzamento da Avenida Duílio Calderari com a Angelo Antonio Zanchetin, um funcionário foi realocado para organizar a chegada de carros ao local.

Entre o fim da tarde e início da noite, a estimativa é que o fluxo de veículos aumente nesses estabelecimentos, pois o horário é considerado de “pico” em que muitos motoristas estão saindo do trabalho e retornando para suas casas.

Em nota enviada para a impressa, o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná (Paranapetro) mencionou o impacto no bolso da população. “Este é um aumento que terá grande impacto para consumidores, o mercado e a economia em geral. Desde o final de semana algumas distribuidoras já começaram a aumentar os preços de venda para os postos, antes de qualquer anúncio oficial de elevação na Petrobrás, alegando uma maior entrada de combustíveis importados no mercado. Conforme o Paranapetro tem alertado, esta é uma prática frequente: algumas distribuidoras costumam repassar os aumentos com grande agilidade para os postos, muitas vezes de imediato”, diz a nota.