Jovens que ganharam a oportunidade do primeiro emprego relatam suas experiências na Zivalplast

O mercado de trabalho exige especialização e experiência, mas o jovem à procura do primeiro emprego às vezes não consegue ainda cumprir tais exigências. Através do Programa Jovem Aprendiz, a Zivalplast tem dado oportunidade para que jovens se encontrem em suas carreiras, além de oferecer capacitação, acompanhamento e conhecimento prático e teórico em suas áreas de atuação. Hoje a empresa tem nove jovens aprendizes. Os já efetivados colaboradores conversaram com o Jornal União para compartilhar suas experiências dentro da empresa, desde o ingresso à efetivação.

 

Thays Marina Rocha Langer

A assistente de compras jr, Thays Marina Rocha Langer, 21 anos, ingressou em 2017 na empresa. Ela avalia que amadurecimento adquirido durante os últimos cinco anos de Zivalplast tem sido primordial na vida profissional dela. “A empresa tem me ajudado muito a crescer profissionalmente. Quero continuar desenvolvendo minhas habilidades ainda mais”. Um conselho que Thays deixa para os novos colaboradores é: “Escute os conselhos de quem está há mais tempo na empresa. Tenha paciência e não desista na primeira dificuldade”.

 

Adassa Diniz Molinari

Enquanto cursava o primeiro ano de Ciência Contábeis, a hoje analista financeira, Adassa Diniz Molinari, 23 anos, recebeu a oportunidade de aplicar os conhecimentos na prática. Em 2016 começou a trabalhar na Zivalplast, onde passou a conhecer o setor financeiro e administrativo da empresa. No início, ela conta que se sentia pressionada pelo tanto de responsabilidades que eram repassadas pelas colegas, mas hoje ela entende que isso só acrescentou em sua vida. “Minhas colegas passavam muitas tarefas pra mim. Eu achava que não iria dar conta. Mas depois eu descobri minhas habilidades na função, o meu potencial era muito maior que eu imaginava”.  Com relação aos novos colaboradores ela diz: “Aceitem as tarefas que os colegas mais experientes repassam a vocês. Tenham persistência, busquem aprender com as experiências dos mais antigos”.

 

Alliny Bodot Batista

Conforme a auxiliar de RH, Alliny Bodot Batista, 21 anos, ia exercendo as funções na empresa, mais ela ia se encontrando na profissão que ela escolheu. Entre a vigência do contrato de aprendiz e a efetivação, um longo caminho de experiências foi adquirido. Um dos momentos marcantes vivenciados por ela foi o dia em que ela foi comunicada de sua efetivação. “Fizeram uma surpresa emocionante! Minha supervisora chegou com um documento para eu cadastrar no sistema. Quando abri tinha meu nome com a mensagem: você foi efetivada!”.

Como auxiliar, Alliny atua nas áreas de integração, recrutamento e seleção, além de atividades envolvendo o departamento pessoal e segurança do trabalho. A expectativa da jovem é poder chegar um dia ao cargo de analista. Uma dica valiosa que ela deixa aos novos colegas é: “Aproveitem a oportunidade ao máximo. Busquem se conectar com os colegas que têm uma bagagem maior que a sua. Estar com o coração aberto para aprender é essencial nesse processo”.

 

Brenda Gabrielle Lorena Ramp

Trabalhando junto com uma das gerências da empresa, a auxiliar financeira, Brenda Gabrielle Lorena Ramp, 19 anos, tem aproveitando a experiência para conhecer os diferentes setores da Zivalplast. Ela entrou em 2019 e em apenas seis meses foi efetivada. Desde então, a jovem já executou tarefas no setor financeiro, compras, contratos, análise de preços e margem de lucro. “Sempre busquei ser muito proativa, vivia perguntando se alguém precisava de algo, e isso me ajudou a entender um pouco de cada setor”, conta. Para os novos aprendizes a recomendação que a Brenda compartilha é: “Se doe ao máximo que um dia você será recompensado pelo seu esforço”.