Contas da Copel devem ter redução média de 20% sem bandeira de escassez

Com o fim da aplicação da bandeira Escassez Hídrica determinada pela Aneel, a Agência Nacional de Energia Elétrica, o valor final da conta de luz vai ser reduzido, de acordo com a tarifa de energia de cada distribuidora. No Paraná, área de concessão da Copel, é esperada uma redução gradativa nas faturas emitidas para residências, comércios e indústrias atendidos em baixa tensão, que deve chegar a 20% quando todo o ciclo de consumo já estiver dentro do período de isenção da cobrança.

A bandeira Escassez Hídrica era vigente desde setembro, adicionando, na fatura, o valor de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos. De acordo com a Aneel, esse valor extra foi necessário para compensar os custos de energia, que ficaram mais caros por causa do período de escassez de recursos hídricos, em 2021, o pior em 91 anos. Os consumidores beneficiados com a Tarifa Social de Energia Elétrica já tinham isenção da bandeira Escassez Hídrical.

Agora, a previsão divulgada pelo Ministério de Minas e Energia é de que todos os consumidores sejam beneficiados pela tarifa verde, sem cobrança adicional de valores, até o final deste ano. A tarifa social é válida para famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal, beneficiários de prestação continuada e usuários de equipamento eletromédico de baixa renda. No Paraná, domicílios inscritos na tarifa social que mantêm o consumo abaixo de 150 quilowatts-hora mensais têm a conta de luz paga pelo programa estadual Energia Solidária.