Campina, Curitiba e outras cidades do Paraná estão entre as melhores do Brasil, segundo revista IstoÉ

Curitiba e outras 43 cidades do Paraná estão entre as melhores do Brasil, de acordo com o ranking As Melhores Cidades do Brasil 2022, elaborado pela revista IstoÉ em parceria com a consultoria Austin Rating.

A pesquisa traduz como se comportaram os municípios e quais se saíram melhor na última década, em que o país cresceu apenas 0,4% na média anual, enquanto o crescimento mundial no mesmo período foi de 3%.

A análise anual considera todos os 5.565 mil municípios do país. Na avaliação, as cidades foram divididas em três categorias: pequena (até 50 mil habitantes), média (de 50 mil a 200 mil) e grande porte (mais de 200 mil).

Considerado um dos mais completos estudos sobre os municípios brasileiros, a avaliação mapeia cerca de 280 indicadores ligados à qualidade de vida, mercado de trabalho, saúde, educação e presença digital, além de inclusão social.

Segundo a publicação, Curitiba soube aliar responsabilidade fiscal e planejamento de longo prazo com qualidade de vida para população, por meio de inovação, capitaneada pelo Vale do Pinhão, acessibilidade e planejamento urbano.

Curitiba é a cidade com melhor qualidade de vida e situação fiscal no País, de acordo com o ranking As Melhores Cidades do Brasil 2022.
– Na imagem, Jardim Botânico.
Foto: Hully Paiva/SMCS

“É o reconhecimento do trabalho que estamos fazendo nos últimos anos, com o comprometimento com a responsabilidade e a recuperação fiscal do município, e a preocupação com o bem-estar da população, por meio de inovação, investimentos e medidas para acelerar a economia”, diz o prefeito Rafael Greca.

Campeã no grupo de indicadores fiscais, Curitiba obteve 555.684 pontos, à frente de Joinville (SC), com 555.246 pontos, e Maringá (PR), com 554.026. Em indicadores sociais – qualidade de vida, a capital paranaense liderou com 58.511 pontos, seguida por Salvador (BA), com 58.357, e São Paulo (SP), com 58.331.

A publicação destaca a capital paranaense como sinônimo e referência em qualidade de vida, com um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), que avalia dados relativos à Educação, longevidade e renda, considerado muito alto (0,823).

Considerada referência em educação e saúde, Curitiba também é uma das capitais com mais áreas verdes do Brasil, com 40 parques e bosques. “Curitiba é conhecida pelos seus parques públicos, que são locais de convívio para a população e de reserva ambiental. São parques e bosques. Temos 60 metros quadrados de área verde por habitante, cuidamos dos rios, separamos o lixo”, finalizou o prefeito.

 

Campina Grande do Sul está entre as 50 melhores do Brasil em seu porte, em três quesitos

Campina Grande do Sul aparece na avaliação no quesito município com melhor indicador fiscal e indicador econômico – no subgrupo de cidades de pequeno porte.

O anuário colocou Campina Grande do Sul em 32º lugar do Brasil entre outras 50 cidades de pequeno porte, como tendo os melhores em indicadores fiscais, com destaque para capacidade de arrecadação. O estudo avaliou, principalmente, as cidades que conseguem se organizar com um orçamento reduzido, e investem em importantes áreas da administração municipal.

Nesse quesito também são avaliados fatores como a execução do orçamento, aplicação em Saúde e Educação, além da capacidade de pagamento de seus compromissos financeiros. Campina é a única cidade da Região Metropolitana de Curitiba com até 50 mil habitantes a ser citada no levantamento e divide o ranking com outras oito cidades paranaenses: Medianeira (15°), Lapa (17º), São Mateus do Sul (25º), Palotina (28º), Dois Vizinhos (33º), Marialva (41º), Jacarezinho (42º) e Palmeira (48º).

Nós últimos anos, mesmo com a piora do cenário econômico pela pandemia de coronavírus, o PIB do município se manteve estável próximo dos R$ 35 milhões. O melhor agora, momento de arrecadação permite investimentos em áreas essenciais como Infraestrutura, Saúde e Educação.

Campina tem conseguido se organizar com um orçamento reduzido e investido em importantes áreas da administração municipal, inclusive em Infraestrutura. Foto: Diego Tiller / PMCGS

Além de ser exemplo em indicador fiscal, Campina Grande do Sul ainda foi citada no ranking na área de indicador econômico (43º), no quesito geral de padrão de vida, que considera os avanços do município na gestão de recursos próprios; aplicação em na Saúde e Educação, que espelha o compromisso do município quanto a aplicação de recursos nessas áreas e o cumprimento dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), e a capacidade de pagamento que destaca os avanços quanto à capacidade do município de elevar a arrecadação de forma consciente ao longo do tempo.

Campina progrediu em relação a geração de emprego, apontou o levantamento. Foto: Diego Tiller

Ainda no quesito indicador econômico, Campina Grande do Sul também aparece no ranking de mercado de trabalho (23º), que avaliou quanto o município progrediu em relação a geração de emprego e ao nível de distribuição de renda à sociedade local. Dentro da empregabilidade, o município figura entre outras cinco cidades paranaenses com até 50 mil habitantes: Medianeira (1º), Palotina (4º), Dois Vizinhos (10º), Mandaguari (22º) e Cornélio Procópio (34º), sendo também Campina a única da região da grande Curitiba a ter destaque nesse quesito.

Para o prefeito Bihl Zanetti, figurar no ranking geral dos municípios de pequeno porte é fruto do reconhecimento de um trabalho que envolve todos os setores da atual gestão, sobretudo, investimentos em infraestrutura. “O que levou essa geração de empregos foram os investimentos constantes, sem parar, na infraestrutura que realizamos, principalmente o que traz investimentos e gera emprego. Durante a pandemia, o comércio e as construções da região não pararam. Cresceram também os números de alvarás que foi algo que chamou nossa atenção”, destaca.

Outros fatores que têm contribuído para a geração de emprego, segundo avalia o prefeito, é a geografia do município associado a incentivos municipais e melhorias em sua infraestrutura. “Campina está em uma região privilegiada na rota da BR-116, uma das principais rodovias federais que movimenta a economia nacional, próximo à Capital, aeroporto e Porto de Paranaguá. Nosso município tem incentivado a instalação de novos empreendimentos, inclusive centros de distribuição. Para completar, no ano passado iniciamos a pavimentação e obras na rede de esgoto de toda a área industrial da Cicamp, o que vai deixar a região melhor estruturada para as empresas que lá estão e outras que virão”.

 

Demais cidades paranaenses

As demais cidades paranaenses que tiveram destaques  no levantamento são: Maringá, Ponta Grossa, Toledo, Pinhais, Pato Branco, Marechal Cândido Rondon, Araucária, Arapongas, Umuarama, Medianeira, Palotina, Dois Vizinhos, São Mateus do Sul, Cornélio Procópio, Rio Negro, Foz do Iguaçu, Guarapuava, São José dos Pinhais, Londrina, Paranaguá, Piraquara, Lapa, Palmeira, Jataizinho, Santa Helena, Cascavel, Cianorte, Ibiporã, Francisco Beltrão, São Miguel do Iguaçu, Chopinzinho, Campo Largo, Mandaguari, Matelândia, Telêmaco Borba, Campo Mourão, Santo Antonio da Platina, União da Vitória, Quatro Pontes, Entre Rios do Oeste, Maripá, Mercedes e Colombo.