Morte pela variante delta é registrada em Campina Grande do Sul; Quatro Barras tem caso confirmado

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou nesta terça-feira, dia 14, a morte de um morador de Campina Grande do Sul causada pela variante delta do novo coronavírus (covid-19). No mesmo dia, Quatro Barras teve um caso confirmado da cepa.

Ao todo, 26 casos e nove mortes pela delta e suas sublinhagens foram registrados no Paraná no último boletim epidemiológico (CONFIRA AQUI). Agora, o estado soma 162 casos e 38 óbitos.

Os dados foram repassados no relatório de circulação de linhagens Sars-CoV-2 (nome científico do vírus responsável pela covid-19), por sequenciamento genômico, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Campina Grande do Sul soma, desde o início da pandemia, 5.856 casos de covid-19 e 162 mortes provocadas pela doença. Já em Quatro Barras são 3.659 casos e 101 mortes.

Além do campinense, o boletim desta terça-feira registrou mortes pela delta nos municípios de Curitiba, São José dos Pinhais e Cascavel. As vítimas são seis mulheres e três homens com idades que variam de 5 a 80 anos.

PROTOCOLO

Assim que o relatório é enviado pela Fiocruz, a Sesa entra em contato com as Regionais de Saúde, que por sua vez comunicam os municípios de residência (ou de notificação) dos casos confirmados para iniciarem a investigação epidemiológica. Este processo inclui dados desde o início dos sintomas, a realização do exame, se houve internação e se o caso é considerado como cura ou óbito.

SUBLINHAGENS

Sublinhagens de variantes são fenômenos que fazem parte da evolução viral natural e estão associadas à taxa de replicação da doença. Quanto mais o vírus se multiplica, mais rápido ocorrem os processos de evolução. O vírus Sars-CoV-2 sofre mutações esperadas dentro do processo evolutivo de qualquer vírus RNA. Quando isso acontece, caracteriza-se como uma nova variante do vírus.