Dispensários eletrônicos para medicamentos instalados no Caron otimizam a rotina hospitalar e aumentam a segurança do paciente

A rotina de profissionais da enfermagem, farmacêuticos e auxiliares costuma ser intensa nos hospitais, em especial com o agravamento da pandemia. Para facilitar a dispensação e administração de medicamentos e materiais relacionados, além de aumentar a segurança para o paciente em relação à prescrição médica, o Hospital Angelina Caron (HAC), em Campina Grande do Sul, acaba de instalar 23 dispensários eletrônicos alocados nas UTIs, Pronto Socorro, enfermaria e salas cirúrgicas do hospital. O investimento de R$ 3,07 milhões foi viabilizado com recursos obtidos em projetos de renúncia fiscal, e captados junto à iniciativa privada.

“Os dispensários eletrônicos são equipamentos de alta tecnologia, importados dos Estados Unidos e da Europa para as unidades assistenciais e hemodinâmica. Também teremos equipamentos em cada sala cirúrgica. Eles ficam vinculados ao sistema de gestão informatizado do hospital, o Tasy. Todas as informações, desde o internamento até a alta do paciente, são repassadas ao dispensário, com controle automatizado. Além de otimizar a rotina, aumenta a segurança na prescrição das doses para os pacientes”, detalha Karla Madruga, gerente da farmácia hospitalar do HAC.

Para Eliana Fugitani, gerente de enfermagem do Hospital Angelina Caron, o dispensário eletrônico é uma inovação que auxilia na redução de desperdícios. “Os equipamentos garantem a rastreabilidade de medicamentos de alta vigilância, além de diminuir o tempo entre a queixa do paciente até a administração do medicamento, melhorando sua experiência durante o internamento. A administração de medicamentos é liberada fazendo a leitura do colaborador que estará retirando o medicamento, a prescrição médica e a dosagem daquele medicamento controlado, garantindo a segurança na cadeia medicamentosa”, avalia.

40% MENOS CONSUMO DE MEDICAMENTOS

Ainda são poucos os hospitais do país que aplicam essa forma de armazenagem e gestão de medicamentos hospitalares. Estima-se que a economia gerada por esse sistema é de até 40% no consumo de medicamentos e insumos. “Costumo dizer que esses dispensários funcionam como uma farmácia satélite. Todo o abastecimento, controle de inventário, validades e controle de qualidade são feitos pelos auxiliares e farmacêuticos, o que desafoga a enfermagem ter que ir até a farmácia buscar os medicamentos, ou da farmácia precisar levar até a enfermagem”, explica a farmacêutica.

Os equipamentos armazenam os medicamentos e materiais, com a gestão feita pelos profissionais farmacêuticos. “O médico prescreve no sistema de informática, o sistema Tasy passa todas as informações ao dispensário, e o profissional de enfermagem entra em contato com a prescrição eletrônica e toda a medicação que o paciente precisa, que é liberada por horário, em uma gaveta própria”, pontua Karla, reforçando que o dispensário também faz o controle dos psicotrópicos, medicamentos de alta vigilância e materiais necessários para aplicação de injetáveis, como seringas e agulhas, além de materiais para curativos e outros procedimentos.

INVESTIMENTOS EM TECNOLOGIA

O Hospital Angelina Caron, um dos maiores parceiros do SUS no Paraná, realiza investimentos constantes em tecnologia, para aprimorar o diagnóstico precoce, a prevenção e o tratamento das doenças, inclusive de alta complexidade, para todos seus pacientes. Apesar da crise enfrentada pelo setor de saúde no país, o HAC atualiza com frequência seus equipamentos de última geração, contando com empresas parceiras que investem em seus programas por meio de renúncia fiscal.