Campina Grande do Sul terá linha de ônibus integrada com Curitiba

Os moradores de Campina Grande do Sul que usam o sistema público de transporte passarão a contar com uma linha integrada com Curitiba. A previsão é que a nova rota comece a operar na segunda-feira, dia 27. A integração foi formalizada por um convênio entre prefeitura, Coordenação da Região Metropolitana (Comec) e Urbanização de Curitiba (Urbs).

Com a linha N01, os passageiros poderão partir do terminal do Jardim Paulista e desembarcar na Estação Tubo Fagundes Varela, que fica na Linha Verde, na altura do Bairro Alto. Lá será possível fazer conexões com outras linhas da rede integrada de transporte, tanto de Curitiba como de outros municípios da região metropolitana.

A linha será alimentada com três ônibus, com intervalos de 20 minutos nos horários de pico. O tempo estimado do percurso é de 35 minutos.

O governador Ratinho Junior, que autorizou a assinatura do convênio, avaliou a integração do transporte coletivo como uma grande conquista para quem mora em Campina Grande do Sul. “É uma reivindicação antiga da população e da prefeitura. A integração permitirá que, com a mesma tarifa, os usuários possam se conectar a outras diversas linhas e terminais. Com isso, o sistema ganha qualidade e, ao mesmo tempo, fica mais barato”.

“Estimamos uma economia de aproximadamente 50% para o usuário que hoje precisa pagar duas passagens. Além disso, a integração gerará novas oportunidades e empregos”, disse o prefeito, Bihl Zanetti, que agradeceu o governo estadual por atender o pedido. A expectativa é que a nova linha atenda cerca de três mil pessoas por dia.

Na prática, a ida e volta custa hoje R$ 18,50 por dia, considerando as passagens de R$ 4,75 em Campina Grande do Sul e de R$ 4,50 em Curitiba. O valor diário passará a ser de R$ 9,25 — uma economia de cerca de R$ 200 ao mês para quem faz o deslocamento diariamente.

O presidente da Comec, Gilson Santos, comentou que a ampliação das integrações e conexões na região metropolitana de Curitiba dão mais opções a passageiros de várias cidades. “Neste caso, moradores de Quatro Barras, por exemplo, também saem ganhando”.

Os veículos que operarão a nova linha são multimodais: permitem embarque dos dois lados, livre e em plataforma.

Os ônibus que operarão a nova linha são diferentes, chamados de multimodal. Eles são equipados com dois tipos de porta: ao lado direito, ao nível do piso e, do esquerdo, em plataforma, com portas elevadas que atendem as estações-tubo curitibanas. Para compensar o espaço utilizado para as portas extras, o modelo multimodal é mais extenso que o veículo padrão: são 13,2 metros de comprimento, contra 12 metros do modelo comum.