Acusado de matar Rodrigo Andreatta vai a julgamento nesta sexta-feira

O vigilante Luis Henrique de Oliveira, acusado de matar o empresário Rodrigo Andreatta Ribeiro, vai a júri popular na manhã desta sexta-feira, dia 24. O início do julgamento está marcado para 9h15, no Fórum de Campina Grande do Sul.

Rodrigo tinha 42 anos e foi morto a tiros no dia 18 de novembro de 2020, no pátio do posto Costa Brava, do qual era dono. O estabelecimento fica em Quatro Barras, às margens da BR-116.

O segurança, que teria disparado duas vezes contra Rodrigo e ainda impedido a prestação de socorro à vítima, está preso desde novembro.

MANIFESTAÇÃO

Família e amigos organizam uma manifestação para o dia do julgamento, em que pedirão por justiça. Eles se reunirão às 9h, em frente ao Fórum.

“Minha expectativa é que a justiça seja feita. Não quero mais ver famílias destruídas por crimes desse porte. Ele [Luis Henrique] atirou sem deixar ao menos meu pai falar, enquanto deveria estar trabalhando pela segurança. Como pode uma escolta pegar alguém com a ficha suja que ele tinha? Não me conformo em saber que uma empresa contrata gente desse nível para trabalhar com arma de fogo”, desabafa Leonardo Andreatta, filho de Rodrigo.

LEMBRE O CASO

O vigilante Luis Henrique de Oliveira teria baleado Rodrigo Andreatta Ribeiro depois de um desentendimento entre os dois. A confusão ocorreu depois que o ônibus e um caminhão, que também estava estacionado no posto, se envolveram em um pequeno acidente.

Como os dois veículos estavam trancando a saída das bombas de abastecimento, Rodrigo pediu ao motorista do ônibus para que tirasse o veículo do local. Foi nesse momento que o vigilante teria sacado a arma.

O ônibus escoltado por Luis Henrique tinha saído de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, e levava passageiros para fazerem compras em São Paulo.