“Nenhuma das vacinas aprovadas contra a covid é experimental”, diz OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) ressaltou, nesta segunda-feira, 14, que as vacinas contra a covid-19 aprovadas para uso emergencial não são consideradas experimentais.

Mariângela Simão, diretora de acesso a medicamentos e produtos para a saúde da entidade, explicou que a organização está acompanhando os casos de miocardite que podem estar associados à vacinação nos Estados Unidos. “Estamos monitorando e coletando dados para investigar se há relação com a vacina ou se é uma distribuição normal de casos”.

A OMS afirma que a maioria dos casos relatados até o momento nos Estados Unidos e Israel são de situações leves.

A diretora comentou também sobre a decisão do FDA (órgão americano equivalente à Anvisa) de incinerar doses da vacina da Janssen produzidas por um laboratório em Baltimore, nos EUA. Segundo ela, o problema é pontual com a fábrica e a vacina continua sendo segura.

A maior parte das doses que está sendo exportada e distribuída é feita em outros laboratórios e não se esperam problemas com data de entrega por conta da situação.

USO EMERGENCIAL

Quando o uso emergencial de uma vacina é aprovado pela OMS ou pelas agências reguladoras nacionais, os estudos em torno do imunizante já estão muito avançados, perto do fim. A única diferença é que o produto ainda não tem o registro.

Entre as sete vacinas contra a covid-19 aprovadas para uso emergencial no Brasil, a da Pfizer-BioNTech e a da Fiocruz/Astrazeneca têm registros na Anvisa.