O que muda na RMC após o lockdown de Curitiba

Em reunião por videoconferência nesta segunda-feira, dia 15, a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) aprovou uma minuta de decreto proposto como base para os municípios da Grande Curitiba ampliarem as restrições neste momento de agravamento da covid-19. O modelo do documento é o Decreto Municipal nº 565/2021, de Curitiba, anunciado pelo prefeito, Rafael Greca, na noite de sexta-feira, dia 12, e em vigor desde sábado, dia 13.

Três municípios acompanharam o lockdown de Curitiba: Pinhais, Campo Largo e Campo Magro. Essas prefeituras anunciaram a decisão já no sábado, dia 13, quando foi realizada a primeira reunião da Assomec depois que Curitiba entrou na chamada ‘bandeira vermelha’.

Algumas prefeituras publicaram novos decretos nesta segunda-feira, dia 15, após a segunda reunião. Eles ampliam as restrições para o fluxo de pessoas, mas têm ajustes em relação ao documento da capital. Colombo, Tunas do Paraná, São José dos Pinhais e Araucária estão entre os municípios que fizeram isso.

Já Quatro Barras anunciou que manterá o decreto municipal que está em vigor na cidade desde o dia 8.

Outras prefeituras, como Campina Grande do Sul, Piraquara e Bocaiúva do Sul, não se manifestaram sobre o assunto. Com isso, continuam valendo os decretos municipais que vigoravam desde a semana passada.

GRECA QUER UNIÃO

“Somos uma cidade só e precisamos ter responsabilidade comum”, defendeu Greca, que é presidente da Assomec. “Por isso, rogo a todos os meus colegas prefeitos da Grande Curitiba que adotem as medidas restritivas estabelecidas pela capital.”

Apesar de reconhecer que o remédio é amargo, o prefeito curitibano disse que quanto mais alinhadas estiverem as ações da região metropolitana melhores serão os resultados no combate à pandemia. “Não tem sentido uma cidade restringir atividades e outras deixarem livre. Aí o vírus vai continuar circulando”.

“Se tivermos êxito em frear a propagação do vírus, todos colheremos os resultados positivos mais rapidamente e mais rapidamente poderemos voltar à normalidade nas cidades. Será uma demonstração de amor à vida e ao nosso povo”, afirmou.

DOENÇA ATINGE PREFEITOS E VEREDORES

Vários prefeitos e vereadores da região metropolitana foram contaminados pela covid-19. Os casos mais graves foram os do prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi, e do vereador de Almirante Tamandaré Ednilson Costa Faria (‘Caverna’). Eles morreram em decorrência da doença.

Em Campina Grande do Sul, o prefeito Bihl Zanetti se recuperou depois de passar mais de dez dias internado na UTI. O prefeito de Quatro Barras, Loreno Tolardo, a presidente da Câmara de Bocaiúva do Sul, Margareth Caron, o presidente da Câmara de Campina Grande do Sul, Eugênio Zanona, o prefeito de Tunas do Paraná, Marco Baldão, e a vereadora de Tunas Josilene Bonete de Farias dos Santos (´Polaca’) também estão entre os políticos que contraíram o novo coronavírus.

CONFIRA O QUE OS MUNICÍPIOS DA RMC DEFINIRAM APÓS O NOVO DECRETO DE CURITIBA:
Aderiram ao lockdown da capital – Pinhais, Campo Largo e Campo Magro.
Publicaram novos decretos, mais restritivos, mas com ajustes em relação ao da capital – Colombo (Decreto 36/2021), Tunas do Paraná (Decreto 144/2021), Araucária (Decreto 35726/2021) e São José dos Pinhais (Decreto 4.240/2021).
Mantiveram os decretos que vigoravam antes do lockdown da capital – Quatro Barras, Campina Grande do Sul, Piraquara e Bocaiúva do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!